ABIQ
Notícias

Notícias > Commodities Agrícolas

O leite é mais barato no Uruguai e a os produtores têm maiores lucros
24/09/2014

Com uma produção de leite menor, o Uruguai paga melhor seus produtores do que a Argentina e, além disso, os consumidores pagam menos pelos produtos lácteos nas gôndolas.
Um estudo realizado por Néstor Roulet, produtor e ex-vice-presidente da Confederação Rural Argentina (CRA), afirma que a diferença entre um país e outro decorre do fato de que o Uruguai entendeu que o “mercado de exportação” é um “complemento” do mercado interno, e não alternativo.
Com uma produção anual de 1,85 bilhões de litros, o Uruguai exporta 68% de sua produção e este item representa 60% do faturamento das indústrias de laticínios. A Argentina, por sua vez, vende para o exterior 21% de sua produção total, que no ano passado chegou em torno de 11,2 bilhões de litros.
Em julho passado, o produtor de leite da Argentina recebeu das indústrias o equivalente a US$ 0,37/litro. Enquanto isso o produtor uruguaio recebeu US$ 0,44/litro.
Simultaneamente, a indústria [argentina] vendeu o litro de leite na saída de fábrica a US$ 0,67/litro, e no Uruguai as empresas o fizeram a US$ 0,61/litro.
Ou seja, a indústria de laticínios argentina comercializou mais caro na porta da fábrica, mas pagou menos aos seus produtores. “Em julho, enquanto a indústria argentina vendia 11% mais caro que no Uruguai, o produtor de nosso país recebia 18% menos”, destaca o relatório de Roulet.
 
Preço Percebido
 
No país vizinho os produtores têm uma participação mais alta no preço de venda da indústria. Para o período março/julho esta relação foi de 77%, enquanto que na Argentina o percentual do produtor sobre o valor de comercialização das indústrias foi de 55%.
 
Para Roulet, se o produtor argentino tivesse a mesma participação no valor de venda da indústria que o produtor uruguaio, hoje estaria recebendo um preço muito melhor. Em julho passado a média do preço ao produtor da Argentina foi de 3,06 pesos/litro. Se houve a mesma participação que os colegas uruguaios deveriam ter recebido 4,23 pesos/litro.
Pelo lado dos consumidores a situação também é mais favorável para os uruguaios.
Neste ponto, o ex-vice-presidente do CRA realizou um cálculo passando a litros de equivalente leite os diferentes produtos (de leite a queijos) comercializados no varejo. E chegou à média de US$ 1,10 equivalente litro de leite na Argentina, contra US$ 0,84 no Uruguai.
“Na Argentina o preço ao consumidor do litro equivalente leite está em 9,34 pesos, ou US$ 1,10. No Uruguai o preço é de 19,46 pesos uruguaios, correspondente a US$ 0,84”, destacou Roulet.
Neste contexto, se o produtor argentino recebe US$ 0,37, participa com 33% do preço final na gôndola. Por outro lado, ao receber US$ 0,44 o produtor do Uruguai participa com 52% do valor final.
Qual a razão desta melhor acessibilidade para o consumidor do outro lado do Rio da Plata? Para Roulet, isto é porque no Uruguai o mercado de exportação não é considerado um concorrente, mas um complemento.
“Na Argentina o Governo acredita que o mercado externo é concorrente do mercado interno, mas no Uruguai ele é tido como complementar, sabem usar suas exportações e são mais eficientes.

Se 60% do faturamento de suas empresas é com exportações, podem compensar vendendo mais barato no mercado interno”, conclui o estudo.

Fonte: SElectus 4528, 24/09/2014, La Nacion, Argentina

Voltar

Veja também:
 
Commodities Agrícolas
 
  Diversos
 
  Mercado Internacional de Lácteos
 
  Mercado Nacional de Lácteos
 
  Pesquisas de Mercado
 
  Varejo Internacional
 
  Varejo Nacional
 

Endereço: Praça Dom José Gaspar n° 30 - 10° Andar - Centro - São Paulo - SP
Tel/Fax: (11) 3259-9213 / 3259-8266 / 3120-6348 - Desenvolvimento: Interpágina