Nutrição e Saúde
Notícias

Leite integral é mais indicado para emagrecer, diz pesquisa da Unicamp.

Estudo mostrou que o leite integral tem mais ácido linoléico. A substância ajuda na redução da gordura abdominal por Bruna Stuppiello.

Uma pesquisa da Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) derrubou o mito de que o leite desnatado tem que estar sempre no cardápio das dietas de emagrecimento. O estudo mostra justamente o contrário. O leite integral é mais eficiente quando o assunto é reduzir alguns centímetros na barriga porque têm concentrações mais significativas de ácidos graxos insaturados e alguns saturados, conhecidos como “gorduras boas”, aquelas que não fazem mal à saúde.

Uma dessas gorduras é o ácido linoléico conjugado que é importante por conter propriedades anti-inflamatórias, anticancerígenas e auxiliar na redução da gordura abdominal. “As pessoas acham que vão engordar se tomarem o leite integral, mas na realidade ele contribui para o emagrecimento”, diz a farmacêutica e autora da pesquisa Natália Andrade Zancan.

Outra desvantagem do desnatado é que ele possui baixas concentrações de ácidos graxos ômegas que contribuem para a diminuição da taxa de colesterol e são antioxidantes. “O leite também é uma fonte importante de vitamina D que se dissolve apenas na gordura. Portanto, quando é retirada a gordura do leite, como é o caso do desnatado, essa vitamina acaba”, complementa o nutrólogo da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), Carlos Alberto Nogueira.

No estudo, foram analisadas 9 marcas de leites integrais, semidesnatados e desnatados dos estados de São Paulo, Paraná e Goiás e a questão analisada foram apenas as gorduras. “Com base nos dados que analisei, sugiro, mesmo para quem esteja de dieta, a substituição do leite desnatado pelo integral”, diz Zancan.

Alimentação balanceada

Apesar de o leite integral ter alta concentração de “gorduras boas”, ele também possui ácidos graxos saturados que aumentam o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares ou de um acidente vascular cerebral (ACV). “Por isso recomendo o consumo moderado do leite, entre um e dois copos por dia”, aconselha Zancan.

Alguns nutrientes são encontrados apenas no leite. “Ele é praticamente a nossa única fonte de cálcio. Digo que uma alimentação equilibrada tem que ter proteína, carboidrato e gordura e o leite tem tudo isso”, diz Nogueira.
Assim, a versão integral da bebida pode ser mantida na alimentação e a gordura evitada de outras maneiras. “A pessoa pode diminuir o consumo de carnes de boi, porco e frango e também alimentos com a gordura trans”, explica Nogueira.
Em sua pesquisa Zancan notou que o leite semidesnatado ainda mantém concentração maior de “gorduras boas” quando comparado ao desnatado, e menor em relação ao integral. “Para pessoas com doenças metabólicas que não podem consumir muita gordura como colesterol alto, hipertensão, obesidade, entre outros, o leite semidesnatado é uma boa alternativa”, conta Zancan.

Fonte: Selectus 4009, 03/08/2012, G1, Campinas

Obs da ABIQ: por consequência, esse estudo brasileiro reforça os estudos internacionais sobre a ação benéfica do ácido linoleico conjugado. Esse efeito benéfico do ácido linoleico conjugado já havia sido ressaltado pela nutricionista Flora Spolidoro em seu estudo específico sobre as propriedades nutricionais dos queijos, por serem os queijos a fonte alimentar mais rica de ácido linoleico conjugado.
Tal como a recomendação da prof. Natália Andrade Zancan, a ABIQ também sugere que o consumo de lácteos diversos - alimentos essenciais em uma dieta equilibrada, seja de 3 porções ao dia, conforme recomendação internacionalmente aceita.

Voltar

  Nutrição e Gastronomia
Queijos na Nutrição
  Queijos na Gastronomia

Endereço: Praça Dom José Gaspar n° 30 - 10° Andar - Centro - São Paulo - SP
Tel/Fax: (11) 3259-9213 / 3259-8266 / 3120-6348 - Desenvolvimento: Interpágina