Nutrição e Gastronomia

Matéria de capa da Revista Época é mais um esforço para esclarecer sobre os reais impactos das gorduras saturadas para a saúde.

Vários estudos e fatos tem demonstrado que as gorduras animais, mesmo as saturadas, como as que existem nos queijos, não são todas maléficas, ao contrário. Nos queijos, as gorduras saturadas são em sua maioria benéficas, como tantos estudos anteriores examinados pela ABIQ tem provado.

As conclusões mais importantes estampadas na matéria publicadas na revista Época de 04 de agosto de 2014 são:

1. Nas alimentações ocidentais, o consumo de gordura animal caiu, enquanto o consumo de carboidratos subiu. De 1970 a 2010 o consumo de gorduras animais diminui 11% e o de carboidratos subiu 26%. Apesar da redução de gorduras, a Obesidade e as doenças ligadas à alimentação subiram.

2.No Brasil, segundo dados do IBGE, trocamos comida nutritiva por comida menos saudável. De 1974 a 2003, o consumo de gordura animal caiu de 3,04% de nossa alimentação para 1,08%. Biscoitos passaram a representar 3,47% das calorias ingeridas num dia. O aumento foi de 207%. E a Obesidade também cresceu.

3. O médico inglês JonhBriffa, especializado em alimentação afirma que o tipo de carboidrato que ingerimos mudou completamente. “Frutas e lanches de queijo foram substituídos por salgadinhos e biscoitos” afirma.

4.Em 1957 o pesquisador Jacob Yushalmy, do curso de bioestatística da Universidade de Bekerley, Califórnia, USA, publicou uma análise estatística de 22 países sobre a conexão entre o consumo de gordura e as doenças cardíacas, Segundo ele, foi impossível achar relação estatisticamente confiável entre as duas.

5. Ao final de 12 semanas, caiu em média 26% o nível de partículas de colesterol ruim entre participantes de uma pesquisa que reduziram em 10% a ingestão de carboidratos e passaram a comer carnes, ovos, queijos, castanhas, legumes e verduras em vez e massas, pães e biscoitos. Esse foi o resultado do trabalho do pesquisador Jeffe Volex, da Universidade de Connecticut, USA, concluída em 2009.

6. À medida que a proporção de carboidratos na dieta aumentava, de 20% para 65% e o teor de gorduras era reduzido houve uma explosão do LDL ou colesterol ruim, revelou em 2011,outra pesquisa da Universidade de Berkeley, Califórnia, USA mostrando a conexão entre a ingestão de carboidratos e o aumento de partículas do colesterol ruim.
O que faz bem?

Embora ainda persistam algumas crenças de que gorduras saturadas fazem mal à saúde, há consenso atual entre médicos e nutricionistas de que nenhum alimento isoladamente pode ser acusado de causar doenças, nem mesmo as gorduras.
E essa tem sido permanentemente a posição da ABIQ. Acreditamos que as dietas devem ser equilibradas com todos os grupos de nutrientes incluídos de forma balanceada, segundo as necessidades de ingestão diária de nutrientes.

Em média para os lácteos, a recomendação é de 3 porções diárias. No caso dos queijos, o consumo diário deve ser de 3 porções de 30g (crianças) e 3 porções de 50g (adultos) para suprir a ingestão necessária de proteínas (e aminoácidos), Cálcio e Fósforo, vitaminas A e D, além de outros minerais e vitaminas do complexo B.

Recomendamos que você acesse outros artigos nesse site que explicam sobre o papel dos queijos como alimentos funcionais e da importância dos queijos como alimentos nutritivos em todas as faixas etárias.

VER A MATÉRIA

Voltar

  Nutrição e Gastronomia
Queijos na Nutrição
  Queijos na Gastronomia

Endereço: Praça Dom José Gaspar n° 30 - 10° Andar - Centro - São Paulo - SP
Tel/Fax: (11) 3259-9213 / 3259-8266 / 3120-6348 - Desenvolvimento: Interpágina